Suicidios

[Suicidas][bleft]

Torturas

[Tortura][grids]

O verdadeiro Horror em Amityville

Ed e Lorraine Warren foram os melhores investigadores psíquicos dos Estados Unidos por três décadas seguidas. Alguns chamavam-lhes de caçadores de fantasmas. Outros chamavam-lhes de fraudes. Juntos, eles escreveram 9 livros sobre o sobrenatural, e investigaram milhares de diferentes "supostas" assombrações. Um dos casos mais famosos é o de Amityville. Eles tinham a permissão de entrar na casa e tiraram fotografias da mesma. Vale lembrar que o filme "The Conjuring" (Invocação do Mal) foi baseado na história do casal.



Já fazem quase 30 anos desde que eles pisaram na mansão localizada no número 112 da Ocean Avenue. Lorraine Warren em parceria com MGM, discutiu suas experiências pessoais com o Horror em Amityville...

O seu primeiro encontro com a casa de Amityville foi em 1975?

Warren:  Sim. 1976, na verdade. Fevereiro de 1976.


A essa altura, alguém tinha vivido na casa desde que os Lutzs desocuparam o local?

Warren:  Nós conhecemos George Lutz em uma pizzaria alguns quarteirões de distância, porque o padre envolvido tinha dito a ele que se ele voltasse para a casa traria o espírito de volta. O padre estava certo. Ele também havia sido vítima naquela casa.


Você já disse que este é o maior mal você já encontrou em um só lugar.

Warren:  O caso, não a casa, devo dizer... O caso em si tem afetado nossas vidas pessoais mais do que qualquer outro caso que já trabalhamos em 54 anos de pesquisa. Meu marido é um demonologista religioso, ele não está bem. Nós estivemos envolvidos em assombrações e casos diabólicos muito ruins. Nós estivemos envolvidos com levitações e sangue saindo dos olhos de pessoas. Todos os tipos de coisas ruins. Mas esse caso nos seguiu até o nosso lar.


Como isso aconteceu? Como o caso a seguiu em sua casa?

Warren: Bem, na primeira noite que voltamos para casa...  Antes de tudo, Ed e eu fomos atacados na primeira vez que visitamos a casa, isso é muito incomum.  Naquela época, nós só estávamos envolvidos com parte da investigação. Quando fomos para casa... Desculpe, antes quando recebemos a ligação sobre o caso sentimos um sentimento estranho, não era confortável. Eu não sei porque estava desconfortável.   Por que esse caso seria diferente de qualquer outro? No entanto, eu me senti pessoalmente ameaçada por ele.  Entrei em contato com o clero e perguntei se ele iria em espírito comigo.


O que significa isso?

Warren: Em outras palavras, equipe-se. Espiritualmente.


Vocês levaram algo da casa Amityville para sua casa?

Warren: Nada além de entrevistas e coisas assim. Isto é tudo. Algo iria acontecer se tivéssemos pego algo da casa.


Como uma cama ou cobertores?

Warren: Deus, eles poderiam manter todas as suas camas e cobertores .As mobílias que estavam lá pertencia a Defeo.


Os filhos dos Lutzs realmente dormiram na cama de Defeo como no filme? Foi a mesma cama em que eles morreram,certo?

Warren: Só não era o mesmo colchão. Era a mesma estrutura.


O que me incomodou sobre o filme é que o bem não prevaleceu sobre o mal. Normalmente, o bem sempre triunfa sobre o mal.

Warren: Tudo bem, vamos ver isso. Isso é feito em vários níveis diferentes. Antes de tudo, nós só estávamos lá pesquisando. Você tem que saber exatamente com o que está lidando nessas casas. Por que o mal está lá? Quem convidou o mal para se manifestar? Ronald Defeo era um cara muito vulnerável. Usava drogas, praticava ocultismo, odiava seu pai. Todos esses ingredientes não estavam convidando Deus para sua casa.


Defeo ainda está vivo, certo?

Warren: Ele ainda está vivo. Sim. Ele nunca vai ver a luz do dia. Respondendo sua pergunta, o Padre Pecoraro veio abençoar a casa. Foi tudo que ele fez. Ele não sabia de nada. Ele só veio para abençoa-la. Disseram para ele sair de lá, ele foi golpeado no rosto. Suas palavras para nós.


Ele foi pego de surpresa. Ele não tinha idéia.

Warren: Ele não tinha idéia, senhor.


Qual é a interpretação mais incompreendida do que você faz?

Warren: Essa é uma pergunta muito boa. Talvez que devíamos respeitar as áreas da ciência. Mas os cientistas nunca conseguiram encerrar o caso.  Olhamos para o fenômeno do ponto de vista religioso. É por isso que meu marido é um demonologista religioso. Nós somos católicos. Cada família que trabalhamos não é necessariamente católica. Trabalhamos com Batistas, que foram muito, muito úteis. Trabalhamos com os rabinos, com os muçulmanos, com os anglicanos, com todas as fés. O importante é trazer uma conclusão para os casos. Você não pode encerrar a menos que seja tudo documentado. Isso leva bastante tempo...
Padre Pecoraro nunca entrou na casa para realizar um exorcismo. Ele se encontrou com o meu marido, eu e a família Lutz na casa de Kathy Lutz, no dia de St. Joseph. E ele rezou a oração de São José para nós. Eu carregava uma relíquia do Padre Pio na casa. E em um quarto da casa, Padre Pio apareceu.


Padre Pio apareceu na casa?

Warren: Sim, ele apareceu para mim em espírito. Nós não sabíamos disso quando conhecemos Padre Pecorari, mas ele era o juiz da Igreja.  Ele tinha doutorado na nossa fé. Era um homem culto, muito culto. Então ele se levantou para nos dar a oração do Senhor, olhando diretamente para mim. Ninguém sabia da relíquia do Padre Pio além de mim, eu que a carregava. Padre Pecoraro disse para mim: "Quem você acha que te fez sair daquela casa?", eu pensei que estava de volta para o colégio católico e respondi "Deus, eu acho, Padre." Ele disse:  "Padre Pio, certo?" e eu disse "como você sabe?". Sua resposta foi, "Padre Pio me disse." Nós não temos as nossas provas disso e uma semana depois nosso fotógrafo que estava fotografando a casa nos ligou e disse para Ed, "Eu queria lhe mostrar algo que está em uma foto, porque eu não entendo." Nós olhamos as fotos: Padre Pio.  A impressa nos pressionou porque disseram que mostramos uma foto que aparecia um homem parecido com um Padre. Então retiramos a foto porque não podíamos provar que era o Padre Pio.


A imagem mostrou que, exatamente?

Warren: Padre Pio.


A  imagem de Padre Pio apareceu em uma foto que o fotógrafo tirou. Ele estava morando em outro lugar no momento?

Warren: Não, Padre Pio morreu em 1968. Uma relíquia significa que ele estava morto.


 Eu não sabia...

Warren: Eu rezei para Padre Pio, e eu disse, "se é você na foto, eu preciso saber quem você é. Eu preciso que você me ajude a entender porque você apareceu para mim."  Quando fomos para Califórnia, dois homens da TV ABC queriam ir conosco. Ninguém sabia sobre Padre Pio, eles não sabiam nada. Então um desses homens falou para mim, saindo da Igreja: "Você conhece o Padre Pio?", eu respondi, "Conheço, por que?"  E ele disse, "Você vai estar em La Hoya hoje. Lá há um padre que serviu com Padre Pio." Eu disse, "Qual o nome dele? " Ele disse, "Padre Ralph Negrai."  Encontramos ele, ele falava um inglês ruim. Era um homem muito, muito amável.  Ele serviu com Padre Pio na Itália. Ed disse: "Padre, eu tenho algo para lhe mostrar." Pegou seu projetor e mostrou seu slide na parede. O Padre ajoelhou-se, benzeu-se e disse: "Padre Pio". Eu disse: "Padre, por que ele apareceria para mim?" e suas palavras foram: "Você deve ter pedido a ele..."

Bem rápido, você pode nos dizer qual espírito, ou espíritos, você acha que estavam na casa de Amityville?

Warren: A personificação do mal.


Qual foi a coisa mais assustadora para você?

Warren: Quando ele nos seguiu até em casa a primeira noite. O mal. De qualquer jeito, levaria muito tempo para contar tudo que aconteceu em nosso carro. Nós não podíamos falar sobre Amityville. Se você acha que eu ia falar sobre isso naquele voo para o leste, você está louco. E eu nem me considero supersticiosa.


Então você não vai falar sobre isso em um avião?

Warren: Eu não vou falar sobre isso em qualquer veículo em movimento.


Você acredita que isto ainda está te seguindo?

Warren: Acho que qualquer coisa pode ativá-lo. Ele tem a sabedoria e a astúcia de todos os tempos. Portanto, sua fé deve ser muito, muito forte no que você está fazendo... Enfim, chegamos em casa.  Ed levou sua mala até seu escritório, que está no nível mais baixo em nossa propriedade. Os quartos são no mais alto nível. Eu fui para a cama. Eu abri esse envelope marrom que peguei na estação de correios, e havia um pequeno livro com Padre Pio. Eu pensei que era interessante. Eu decidi que iria ler para ver o que tinha a dizer. Então eu percebi que dois dos meus cães, um cão pastor belga, e um border collie, que estavam na sala comigo, não estavam agindo direito. Eles estavam agindo como se estivessem drogados. Ou algo assim. Eles estavam agindo muito estranho. Eu tentei ler o primeiro parágrafo. Quando o sua concentração é afetada, você sabe que há alguma força tentando chegar até você para causar confusão. É o que eles chamam de confusão diabólica. Sentei-me ali, e eu não podia me mover. Tudo o que eu tinha que fazer era tocar um botão que estava ali, para a segurança, que assim o meu marido saberia que algo estava errado. Mas eu não podia. Sintia-me quase paralisada. Então, o único som que eu ouvi é um som que eu só posso comparar com grandes folhas de chapa de metal. Como alguém estivesse sacudindo-as. Em seguida, houve este ciclone de vento, e escuridão. Parecia que ele estava sugando tudo para ele. Ele surgiu a partir do nível mais baixo, para a sala de jantar, sala de estar. Quando ele entrou na porta, havia uma enorme massa preta. Chamei minha fé, fiz um grande sinal da cruz e disse: "Em nome de Jesus Cristo, eu exijo que você saia e volte de onde você veio." Você só pode fazer isso com fé. Não com palavras. Agora, em segundos, não minutos, meu marido entrou e deitou sobre as cobertas ao meu lado, colocou a mão sobre a minha e diz: "Querida, você tem alguma ideia do que acabou de acontecer?" Ele estava a uma distância extrema de onde eu estava e a mesma coisa aconteceu com ele. Ele tinha água benta em sua mesa. Ele jogou para aquilo e fez o sinal da cruz no ar. Esse foi apenas o começo...


A casa foi limpa?

Warren: Nós nunca mais voltamos para a casa.


Há pessoas vivendo atualmente na casa, certo?

Warren: Não tenho certeza.


A foto de Padre Pio está disponível em algum lugar?

Warren: Tenho ela no meu quarto, mas está borrada.

Fonte: Medo B

Relatos

[Relatos]twocolumns]