23/07/2014

Fantasmas existem?

Acho que muitos de vocês já se perguntaram se fantasmas existem. Certo?

Fantasmas?An? Sim! Alma ou espírito de uma pessoa ou animal falecido que pode aparecer para os vivos de maneira visível ou através de outras formas de manifestação. Descrições de aparições de fantasmas variam no modo como estes se manifestam. A tentativa deliberada de contactar o espírito de uma pessoa morta é conhecida como necromancia, ou séance no espiritismo.


A crença em manifestações espirituais dos mortos é comum, datando do animismo ou veneração dos mortos em culturas pré-históricas. Determinadas práticas religiosas — ritos funerários, exorcismos, e alguns costumes do espiritualismo e da magia — são especificamente designadas para agradar os espíritos dos mortos. Fantasmas são geralmente descritos como essências solitárias que assombram um local, objeto ou pessoa em particular a qual estiveram ligados em vida, embora histórias a respeito de exércitos, trens, navios e até mesmo animais e números fantasmas tenham sido relatadas

Portas que batem, pedras que rolam, janelas que se abrem ou fecham abruptamente, lâmpadas que se apagam, quadros que despencam no chão, vultos ou sombras que aparecem e somem num piscar de olhos...

Quantos de nós já não perceberam estes simples fenômenos muitas vezes em nossas casas, na rua, no ambiente de trabalho? Um frio na espinha, um arrepio, uma sensação estranha como se estivesse sendo observado de perto...

Fonte: Somos todos um

Relatos 

Há vários anos atrás um casal decidiu comprar uma velha e grande casa para iniciar sua família. Com um bebê recém nascido pensaram que o local seria ideal para criar as várias crianças que pretendiam ter.

Em uma noite a mãe ouviu o choro de seu bebê e foi até o seu quarto ver a criança, pensou que talvez ele estivesse com fome e precisasse alimenta-lo. Antes de chegar até a porta do comodo da criança o chorou cessou. Pensou que talvez ele tivesse caído no sono e então voltou para sua cama.

Horas depois acordou novamente com o som do choro da criança. Então a mãe dirigiu-se até o quarto do bebê e quando abriu a porta ficou chocada com o que viu: uma criança de um sete ou oito anos estava de pé ao lado do berço. Parecia que ele estava acariciando a cabeça de seu filho como se tentasse o acalmar.

A criança então virou a cabeça e olhou para a mulher que estava na porta. Um calafrio percorreu o corpo da mãe que sentiu seus sentidos oscilarem e pensou que iria desmaiar. Por breves segundos retomou a consciência e ao olhar novamente para o local onde estava o berço viu que a criança havia sumido e apenas seu filho mexia os braços e pernas mostrando que ainda estava acordado.

A mulher avisou seu marido e vasculharam a casa inteira em busca da criança, mas nada conseguiram encontrar. Ao comentar o ocorrido com um dos vizinhos ficaram sabendo que a casa que eles haviam encontrado tinha a fama de ser assombrada pelo fantasma de um menino que morreu na casa e o quarto do bebê era o mesmo que ele ocupava em vida...

Fonte: Clube dos Medos

No primeiro século D.C., foi relatada a presença de um fantasma assombrando uma casa em Atenas, de propriedade de Plínio, o jovem. De acordo com Plínio, o fantasma balançava correntes e assumia a forma de um velho de barba.
O primeiro poltergeist foi registrado em 856 D.C. em uma fazenda nas margens do Rio Rhine na Alemanha. O espírito atormentava a família, atirando pedras, batendo nas paredes e acendendo fogo. Mesmo com a visita de vários padres com relíquias sagradas, o tal fantasma fazia com que os padres fossem embora arrastando pedras.
Visões de exércitos de espectros após as batalhas da Guerra Civil Inglesa foram registradas através de fontes da época. Casos similares também aconteceram em Gettysburg, The Somme e Gallipoli.
Os últimos duzentos anos têm visto um grande aumento de interesse na ciência, mas também no mundo espiritual. Não importa o quanto progredimos, parece que nós sempre teremos interesse em histórias de fantasmas.

Fonte: Discovery Channel 

Crenças em fantasmas 
Fantasmas geralmente são descritos como: meio transparentes, em forma de neblina, sombras ou emanando uma cor prateada. Algumas vezes manifestam-se visualmente de forma clara ou através de diferentes fenômenos como movimento de objetos, barulhos etc. que pressupostamente não possuem uma explicação natural.

No Ocidente aqueles que acreditam em fantasmas sustentam que eles são almas que não conseguiram encontrar descanso depois da morte, e consequentemente estão aprisionadas na Terra. A inabilidade de encontrar descanso é geralmente explicada como algumas responsabilidades não resolvidas, como a vítima que busca justiça ou vingança após sua morte. Criminosos geralmente são descritos como almas penadas que querem evitar Purgatório ou Inferno.

Acredita-se que fantasmas residem no Limbo, uma região que de acordo com a não ortodoxa doutrina Católica, é localizado entre Céu e Inferno aonde as almas de crianças que não foram baptizadas encontram-se.

Na China, muitas pessoas acreditam na reencarnação. Fantasmas são almas que recusam 'reciclar-se', porque eles têm negócios não terminados, similar a crença ocidental. E dito que Exorcistas podem auxiliar um fantasma a reencarnar-se ou eliminar completamente sua existência. Nas crenças Chinesas, um fantasma além de estar desencarnado pode também tornar-se imortal, um semi-deus, ou pode ir para o inferno e sofrer pela eternidade, ou ainda pode falecer novamente e tornar-se o fantasma de um fantasma.


Tanto o Ocidente como o Oriente compartilham algumas crenças fundamentais sobre fantasmas. Eles podem vagar por lugares aonde geralmente viviam, ou aonde faleceram. Tais locais geralmente são conhecidos como assombrados; e os ciclos que eles movem-se denominados de "assombrações". Não possuem um corpo físico como os seres humanos, mas geralmente vestem-se com as roupas que eram vistos enquanto vivos.

Fonte: Tenha medo

Análise Céptica
Enquanto alguns aceitam fantasmas como uma realidade, muitos outros são cépticos com relação á existência de fantasmas. Cépticos procuram explicar a aparição de fantasmas como visões relacionadas ao princípio da navalha de Occam, que argumenta que a única adequada explicação para qualquer evento ou fenômeno é a mais provável explicação.

Isto geralmente significa, a sinceridade e motivo da pessoa que narra o fato será questionada. Por exemplo, persistencia de fantasmas é tipicamente associada a busca de justiça ou vingança. Atribuindo tais motivos e poderes a pessoas mortas pode ser interpretado como uma táctica de medo direcionada aqueles que podem ter assassinado alguém.

Segunda, a possibilidade de um embuste será considerada, com a narração da pessoa que é a vítima. Parece possível que, algumas vezes, o conto de histórias de fantasmas pode ter sido uma maneira de isolar comunidades e espantar intrusos. Também e acreditado, quando tais tácticas podem ter sido elaborada por membros da comunidade que se fingiam de fantasma.

Terceiro, explicações baseadas na fisiologia humana. A aparição de fantasmas geralmente está associada, com uma sensação de frio e figuras pálidas, ou semi-transparentes. Uma natural reação ao medo é o arrepio que pode ser confundida naturalmente com o frio. O aspecto visual dos fantasmas pode também ser considerados pela fisiologia humana: a visão periférica é muito sensível na detecção de movimento, mas não retém muita cor e não oferece também formas concretas; portanto, uma cortina movendo-se ou outro movimento fora do ângulo de visão pode criar uma forte ilusão de uma figura misteriosa.

A natural ocorrência do infra-som, que são sons abaixo das frequências auditivas humanas (abaixo 20 hertz), pode provavelmente explicar a noção ou a sensação de uma presença em no ambiente, ou inexplicáveis sentimentos de ansiedade e pavor, como certas frequências infra-sônicas são conhecidas por gerar tais efeitos no corpo. A frequência de 18hz é conhecida por causar vibração no olho humano, o que pode gerar a aparição de formas pálidas na visão periférica.

Factores psicológicos são também citados como explicação para a visão de fantasmas: pessoas susceptíveis podem ser sujeitas a exagerar interpretações de percepções quando visitam um determinado local no qual ocorreram terríveis eventos históricos.

Há uma vertente de pensamento, em que o fantasma não seria necessariamente uma alma ou ser desincorporado, mas sim uma "impressão psíquica no ambiente (vulgarmente chamado Éter)" em que essa impressão seria de momentos antes a morte ou apenas um momento marcante para determinada pessoa que ficaria gravado no local...

Assim sendo, um fantasma, de acordo com essa crença, não teria noção das mudanças ocorridas ao seu redor e também não perceberia a presença de terceiros, impossibilitando assim de se comunicar com eles e de ser contactado. Essa seria uma diferença em relação aos espíritos, que teriam sim, noção do mundo ao seu redor, afetando-o.

Fantasmas geralmente são descritos como: meio transparentes, em forma de neblina, sombras ou emanando uma cor prateada. Algumas vezes manifestam-se visualmente de forma clara ou através de diferentes fenômenos como movimento de objetos, barulhos, etc. que pressupostamente não possuem uma explicação natural.

Fonte: Tenha medo




Atenção:
- Você não deve fixar o olhar nesta foto
- Não deve nunca olhar nos olhos do menino por mais de 5 segundos
- Se começar a se sentir inquieto "feche" a foto
- Se sentir uma incontrolável vontade de ficar olhando APAGUE a foto de seu micro.

Esta foto foi tirada em 1985, em frente a casa do menino, por um tio do mesmo.
O menino nascido em maio de 1972, teve uma morte sem explicação em dezembro de 1978, neste mesmo local em onde foi tirada a foto. Ninguém sabe qual foi a causa da morte, ele estava com um ursinho de pelúcia nas mãos quando morreu.
O ursinho foi recolocado no quarto do menino que ficou trancado durante 1 semana enquanto a família se recuperava do choque, quando o quarto foi aberto, o ursinho havia desaparecido.
O menino reaparece na foto 7 anos após sua morte, no mesmo local, e com o ursinho desaparecido

Quando a foto foi tirada, não havia ninguém, nem nada no local
O local da foto é uma cidade do interior de São Paulo, cujo nome não deve ser revelado.
Vários fotógrafos analisaram a foto e o negativo e afirmaram ser legítima.
Várias pessoas ligadas ao incidente também morreram de formas estranhas.
O jornal da cidade publicou uma reportagem na época, estranhamente, ao tentar reproduzir a foto, o jornal obteve apenas uma mancha preta indecifrável, o jornalista que fez a matéria, desapareceu semanas depois e nunca mais foi visto.
Fotógrafos e especialistas caracterizaram a figura como um fotespelhotefacto onde, dependendo do foco, torna disforme outras partes da foto, algumas pessoas acreditam que esta foto representa um espectro de uma outra dimensão paralela, onde viveriam as pessoas que já não estão mais neste mundo.

Detalhes interessantes
- Várias pessoas dizem não ver o menino na foto.
- Algumas pessoas não vêem a imagem do menino, mas vêem a imagem de outras pessoas (normalmente mortas) famosas ou parentes;
- Algumas poucas pessoas dizem ver a imagem se movimentando, fazendo sinais com o braço e a cabeça.
A procedência desta foto ainda é um tanto desconhecida, pois a pessoa que nos enviou não quer ser identificada, a família está bastante transtornada com esses fenômenos (este da foto não foi o único), e não quer ser alvo de piadas, nem de programas de TV e jornais sensacionalista.
Fatos estranhos costumam ocorrer com algumas pessoas que observam a foto (por isso a advertência), muitos atribuídos ao espírito do menino que de acordo com especialistas, ainda vaga pela Terra, e pela casa onde a foto foi tirada. Dizem que se alguém tem uma morte prematura, permanece em um plano paralelo até que complete o seu ciclo. Muitas vezes estas pessoas por algum motivo conseguem transpor a barreira das dimensões e aparecer para os vivos, por forma de fotografias e muitas outras formas. Há quem jure que já viu alguma pessoa morta em uma TV fora do ar por exemplo.
Recomendamos não olhar a foto durante muito tempo.


Lugares Assombrados

Edifício Joelma


A Casa de Amityville



Sanatório de Waverly Hills

Resultado de imagem para Sanatório de Waverly Hills

Vídeos

Você já deve ter assistido a mais de um vídeo mostrando supostas aparições de espíritos e assombrações, não é mesmo? Normalmente, a grande maioria desses materiais, depois de ser avaliada por especialistas, costuma ter algum tipo de explicação, e é comum que os “fenômenos” sejam criados pela presença de partículas de poeira nas lentes das câmeras, efeitos de luz e, como não, por pessoas criativas dispostas a assustar os outros.


No entanto, alguns desses filmes continuam sem explicação e circulando ativamente na internet, e até existem exemplos famosos que se tornaram verdadeiros clássicos! A seguir você pode conferir cinco desses vídeos — reunidos pelo pessoal do minilua — e dar a sua opinião sobre uma possível explicação nos comentários:





O vídeo acima já deu o que falar, mas a verdade é que a forma como o veículo se comporta e escapa é bem bizarra. Há quem acredite que a grade que o carro atravessa é empurrada pelo próprio automóvel ou, ainda, que existe uma abertura em algum ponto, mas a verdade é que as imagens continuam provocando discussões.
Eis mais um exemplo que ficou bem conhecido e que continua deixando muita gente intrigada. As possíveis explicações sobre o que vemos neste vídeo variam de sujeira no para-brisa, um “minitornado” que atravessa a estrada e até um problema de foco com a câmera.

 

Algumas pistas no material acima apontam para uma possível farsa, como o ângulo perfeito demais no qual a câmera está posicionada e a boa qualidade das imagens, não condizente com as registradas por câmeras de segurança. Assim, alguns acreditam que o espectro do filme não passa da sombra de alguém, embora até alguns especialistas admitam que a gravação não pareça ser uma fraude, já que aparentemente não há evidências de qualquer edição digital.

 

O fantasminha do clipe é bem conhecido, e várias aparições teriam sido registradas em vídeo. Contudo, a garotinha de Toronto deve ser bem tímida, pois não existem notícias de que um contato mais intenso jamais tenha acontecido com alguém. Neste caso, as suspeitas são de que a imagem é um reflexo em um espelho e de que tudo não passa de uma montagem.


Veja a seguir uma coletânea de supostos eventos sobrenaturais capturados em vídeo e que são de arrepiar. Assista por sua conta e risco!

 

Fonte: Mega Curioso 

Comunicar Com Fantasmas Através de Técnica EVP
Este método consiste na tentativa de gravar um diálogo entre si e um ou mais fantasmas utilizando a técnica EVP (fenómeno eléctrico da voz).

Compre um gravador, não tem de ser um gravador de cassetes, estamos no século 21, pode ser um gravador digital. Se optar por um gravador mecânico (como os gravadores de cassetes) vai necessitar também de um microfone externo de modo a que não grave quaisquer ruídos originados pelas partes mecânicas do gravador.

Coloque o gravador num local plano da divisão passível de estar assombrada (não, não vai conseguir captar qualquer EVP se o local não estiver assombrado). Mas não desespere, se costuma sentir-se observado mesmo estando só ou se ouve ruídos inexplicáveis em determinado local, é bem possível que exista uma presença.

Se estiver a utilizar um microfone externo, certifique-se que o coloca distante do gravador. Convêm ter bastante memória de gravação disponível no aparelho e se utilizar pilhas ou baterias, traga algumas extra para garantir que não fica a meio de algo importante.

Certifique-se que não existem ruídos de fundo. Por exemplo pessoas a falar noutra divisão da casa ou veículos a passar na rua, etc.
Se não for possível abafar esses ruídos, memorize-os de modo a que depois os possa identificar quando ouvir a gravação sem os confundir com algum ruído ou voz originado pela entidade comunicativa. Se necessário aponte num bloco a hora a que se deu algum ruído mais forte, por exemplo: às 13.50 – passou uma mota ruidosa.

Sente-se confortavelmente, não vai querer andar de um lado para o outro causando ruídos e dificultando posteriormente a identificação de algo autêntico.

Poderá no entanto ser necessária a utilização de "Ruído Branco", pois é sabido que as entidades comunicativas muitas das vezes utilizam a energia desse ruído para projectar a sua voz. Pode usar por exemplo uma ventoinha ou um rádio não sintonizado para produzir esse ruído. O importante é produzir um ruído constante.

De qualquer modo, se tiver oportunidade, tente das duas formas, uma primeira sessão sem "Ruído Branco" e outra sem "Ruído Branco". Mas não faça duas sessões no mesmo dia, isso pode aborrecer a entidade e esta deixar de ser comunicativa consigo.

Comece a gravar. Em voz alta e bom som, diga a hora, data e local onde se encontra. Isto vai ajuda-lo mais tarde para poder organizar melhor os seus EVP’s.

De uma forma simpática, convide algum fantasma ou fantasmas presentes a conversar consigo. Faça-o em voz alta e em bom som! Não fale em voz baixa e muito menos sussurre.
Seja paciente e persistente. Diga que gostaria de lhes colocar algumas questões se eles não se importarem. Seja simpático e atue com respeito! Lembre-se que os fantasmas têm sentimentos e não são “coisas” mas sim ex-pessoas.

Não tenha pressa. Como a voz dos fantasmas não são audíveis enquanto grava, terá de atuar por cálculos.

Depois de convidar uma entidade ou entidades a conversarem consigo, digamos 10 minutos deverão ser suficientes para que a entidade esteja preparada a estabelecer contacto, poderá começar a colocar-lhe questões.

Fale alto e bom som, pausadamente. Coloque a questão e mentalmente elabore a resposta à questão. Isto deverá dar tempo à entidade para responder.
Pense na resposta calmamente e dê mais algum tempo de folga.

Obviamente não diga a resposta à sua questão! Este método serve apenas para poder dar tempo à entidade de responder. Não vai querer colocar uma nova questão enquanto o fantasma responde à pergunta anterior.
Os fantasmas nem sempre respondem tão rápido como as pessoas, tenha isso em atenção.

Lembre-se que neste momento a voz da entidade não será ouvida por si, a menos claro, que possua essa faculdade, como um médium possui.
Seja táctico, não coloque questões que podem enfurecer o fantasma! Por exemplo, não pergunte algo como "foi o senhor que matou os seus amigos com uma faca?". Perguntas desse gênero são geralmente uma má ideia.

Em vez disso, coloque questões como a idade da entidade, o nome, os nomes da sua família, porque estão ali, etc.
Não pergunte algo como "Em que ano morreu?". Não! Em vez disso pergunte "Em que ano estamos?". Geralmente a resposta coincide com o ano em que a entidade faleceu.
Isto porque geralmente os fantasmas não sabem que estão mortos e esse gênero de questões poderá confundi-los ou enerva-los.

Poderá também perguntar-lhes se há alguma coisa que possa fazer por eles. É bastante comum eles procurarem ajuda das pessoas para transmitir  mensagens a alguém.

Quando terminar a entrevista, agradeça-lhes a sua cooperação. Seja cordial. Incentive-os também a não o seguirem quando sair do local.

Mais tarde, quando ouvir a gravação pela primeira vez, ouça-a com uns auscultadores mas com o som baixo, pois geralmente a voz do fantasma é muito alta, dando a ideia que eles falam diretamente para o microfone causando um som muito alto no resultado final.

Lembre-se que a voz de um fantasma pode também não ser tão perceptível quanto se espera, por isso analise bem a gravação e não a descarte imediatamente só porque não consegue ouvir nada na primeira reprodução.


Para analisar o áudio aconselhamos a utilizar um programa de computador como por exemplo o Audacity que é gratuito. Este gênero de programa é bastante eficiente pois é possível depurar alterações significativas nas ondas sonoras assim como filtrar frequências indesejáveis e amplificar outras.

Fonte: Tenha medo


2 comentários:

  1. havia um vídeo de um fantasma passando na frente de um carro na estrada. Foi deletado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente o Youtube deve ter removido

      Excluir