Suicidios

[Suicidas][bleft]

Torturas

[Tortura][grids]

Além da flor murcha: Premonição


Se você nunca teve um déjà vu, conhece pelo menos alguém que já teve. É uma sensação que surge ocasionalmente, ocorre quando fazemos, dissemos ou vemos algo que dá a sensação de já ter feito ou visto antes, porém isso nunca ocorre. O déjà vu aparece como um “replay” de alguma cena, onde a pessoa tem certeza que já passou por aquele momento, mas realmente isso nunca ocorreu. Isso é comum, o problema é quando o assunto é premonição, algo mais complicado. Você só não sente que algo vai acontecer, mas aquele ''algo'' acontece e pior ainda, quando o assunto é morte.

Se tem um cantor que admiro muito, é Tim Maia. Todas as suas músicas são incríveis, inclusive a que cantei durante uma semana Gostava Tanto de Você. A música escrita por Edson Trindade, pode parecer que foi inspirada em uma desilusão amorosa! Mas não, a canção trata-se de um pai que perdeu o seu filho. O mesmo ocorreu com Tim Maia, que perdeu sua filha, de 15 anos, em um acidente de carro. 

Incrível, cantei essa música por mais ou menos, 1 semana e no fundo estava com o pressentimento de que alguem iria morrer. Não pensei em uma pessoa especifica, a única coisa que imaginei, foi cantando a música para a pessoa, depois do seu funeral, como uma forma de homenageá-la. Tudo bem... Dias se passaram e eu continuei com esse mesmo pressentimento, até comentei com um amigo através de um áudio ''estou sentindo algo ruim, sei lá, algo relacionado a morte!''

Sei que isso pode parecer besteira, mas não. Ainda esqueci de contar que, meu avô mora comigo e ele tem aquela ''doença do esquecimento'', ou melhor, Alzheimer. No dia 23 de abril de 2016 foi quando finalmente eu parei de cantar a música. Logo em seguida, meu avô queria sair para algum lugar e disse ''vamos na casa de ***, quero visita-lá para eu saber como ela está''. Prefiro deixar o nome dela (irmã do meu avô) em anônimo, por isso, colocarei ***. Enfim, infelizmente minha mãe não pode ir, pois não estava em boas condições. Assim que ele (meu avô) virou as costas e foi em direção ao seu quarto, ao se passar exatos 5 minutos, o telefone toca! Era a mulher que trabalhava na casa de ***. Nem queiram saber o final... 

Relatos

[Relatos]twocolumns]