05/10/2016

Além da flor murcha: Ela não queria ir



Há 6 anos atrás...
Olá, me chamo Izabella, tenho 11 anos e meus pais são separados. Eu moro com a minha avó materna, tias e meu avô e aqui estou eu com a minha amiga Tais. A gente se conhece há muito tempo, ou seja, minha família toda é como se fosse a segunda família dela. 

É de costume irmos ao rio todos os fins de semana, afinal, não tem coisa melhor do que pular na cachoeira. Mas hoje não era um dia legal. Tais não queria ir, implorava para que sua mãe a deixasse aqui em casa e minha avó dizia ''ela não quer ir, deixe-a aqui com Iza''.
Tanto esforço pra nada e agora estamos indo para a fazenda tomar banho no rio. 

Acostumadas, pulávamos de pedra em pedra. Estava tudo indo muito bem, mas dava pra ver nos olhos de Tais que hoje não era um bom dia para estar ali por mais que estejamos nos divertindo e,coitada,ela implorou para não vir e ela sempre gosta de rio. Estranho né... Mas a verdade é que nem eu sabia o motivo de tanto desânimo.

Tentei anima-lá o bastante e até que dava certo e foi ai que tudo aconteceu! Desviei meu olhar de Tais e fui em direção a beira do rio e ela continuava a nadar. Segundos depois, eu não a via mais. Entrei em desespero e gritei chamando todos. Meu tio correu e nadou até o local em que eu tinha visto ela por último, e percebeu que havia um daqueles redemoinhos que chamamos de ''chupão'' em baixo do rio. Quando sentiu que estava sendo puxado, conseguiu se escapar segurando em um galho, e olhou para mim com lagrimas nos olhos. Eu sem entender, pus a mão na cabeça e pensei comigo mesma ''ela não queria estar aqui, ela implorou para não vir'', e foi quando algo bateu nos meus pés. Era ela, pálida e inchada. Eu não tive forças para olhar. Eu queria ter dado um último abraço nela, uma última conversa,,,Mas era tarde. 
''Tia, ela não queria vir. Agora é tarde, não é? Já são quase 18:00. Está tarde para se sentir culpada ou pra lamentar a perca. Infelizmente isso não vai traze-la novamente''
Eu tentei ser forte, mas não consegui. Desabei e minhas lagrimas estavam quase formando um rio com vários redemoinhos e nelas, só imagino a Tais. 

2016
Olá, me chamo Izabella, tenho 17 anos e meus pais são separados. Eu moro com a minha avó materna, tias e meu avô e aqui estou ás 6:00 da manhã me arrumando para a escola... A única coisa que consigo pensar é ''ela não queria ir'' ...

0 comentários:

Postar um comentário