18/07/2018

Entenda o real perigo de Momo, a lenda urbana que viralizou nos últimos dias

A nova onda do Whatsapp é a lenda urbana de "Momo", o misterioso número que liga para as pessoas. Se você ainda não viu nada sobre, imagine: você está mexendo no seu celular tranquilamente quando de repente recebe uma ligação de um número desconhecido. Junto com isso, vem acompanhada uma imagem bizarra de um ser sobrenatural. Isso é estranho e muito assustador. As pessoas de várias partes do mundo estão assustadas com esse caso que viralizou na internet nos últimos dias.
Tudo começou quando um suposto desafio apareceu nas redes sociais. Alguém compartilhou o número de telefone (+81435102539) dizendo que o mesmo era amaldiçoado. O mais curioso é que o (+81) indica ser um número de algum lugar localizado no Japão. De acordo com usuários do Twitter, a pessoa por trás desse número é "Momo" e ela sabe conversar em vários idiomas. Alguns usuários ficaram com muito medo, outros preferiram levar tudo na brincadeira e não esboçaram qualquer pavor.
A imagem utilizada nesse viral é fake e, claro, Momo não é real. Na verdade, trata-se de uma figura que foi vista na internet em 2016, no Japão. É uma espécie de "mulher pássaro". O "monstro" em forma de escultura pertence ao museu Vanilla Galleru, nos distrito de Ginza, em Tóquio. No entanto, mesmo sendo uma história inventada, especialistas alertaram as pessoas que estão caindo nisso, pois o viral pode, de fato, ser extremamente perigoso para as pessoas.

Real perigo

"Momo", a lenda urbana que viralizou nos últimos dias pode ser, na verdade, uma forma de roubar informações pessoas de usuários desavisados. Isso foi dito por especialistas em segurança cibernética. O desafio por trás do viral é conversar com "Momo" através de mensagens no Whatsapp. Uma vez que se contata o número, "Momo" pode responder com algumas ameaças violentas e demonstra ter acesso a informações pessoas dos usuários.
Só é preciso colocar o número de uma pessoa no Facebook ou Instagram para conseguir informações pessoas do usuário. Isso depende, é claro, da privacidade da conta. Com isso, os especialistas recomendam todos manter suas contas nas redes sociais bloqueadas para o público geral. Recomendam ainda ter apenas pessoas conhecidas na lista de amigos e compartilhar o mínimo de informação pessoal possível.
"São técnicas que chamamos de engenharia social, onde tentamos enganar o usuário, neste caso, aproveitando a curiosidade de saber o que acontece se você escrever esse número", disse o profissional em segurança cibernética da ESET, Camilo Gutiérrez. Se você receber o número e o desafio de falar com "Momo", recuse imediatamente e não caia nessa, pois pode estar colocando sua privacidade em risco.

Fonte: Fatos Desconhecidos 

7 fatos chocantes de Serial Killers que te deixarão perturbado

Provavelmente você conhece algum caso sobre um assassino em série, também conhecido como serial killer. São pessoas que geralmente apresentam algum tipo de psicopatia e sentem prazer em matar. Cometem crimes com certa cronologia, e procuram de alguma forma, deixar sua assinatura assim que executa suas vítimas. Ocorreram alguns casos chocantes aqui mesmo no Brasil, então, imagine tudo que pode ter acontecido mundo afora...
Por diversas vezes são pessoas que estariam acima de qualquer suspeita. Com uma personalidade dúbia, mas que exibe somente aquela que aparenta ser boa e inofensiva. Por trás de tudo isso, existe uma mente maligna e completamente perigosa. Pensando nisso, separamos abaixo alguns fatos realmente chocantes sobre serial killers. Se prepare para ler sobre o lado mais sombrio da humanidade...

1 - Se recusa a comer uma perna humana porque...

Henry Lucas foi um dos piores serial killers de que se tem conhecimento. Foi suspeito de uma série de assassinatos durante um ano e meio. Policiais suspeitavam que ele seria o responsável por cerca de 3 mil assassinatos! Dá pra acreditar? Por mais que não tenham comprovado tudo isso, é um homem que não deixa de ser cruel.
Ottis Toole era um de seus amigos. Da mesma forma, compartilhava da compulsão sádica de Lucas por matar pessoas. Certa vez, Toole chamou o parceiro para dividir com ele uma perna humana que havia acabado de assar. Pensa que isso já é absurdo o suficiente? Lucas se recusou a comer, afirmando que não gostava de molho de churrasco... Essa foi a principal razão.

2 - Esqueletos para escolas de medicina

HH Holmes, cujo nome verdadeiro era Herman Webster Mudgett, foi um médico de Nova Hampshire. Não se sabe ao certo o número de pessoas que matou, mas estima-se que ultrapassou 200. Atuava em seu "hotel de horrores" no ano de 1893. Acredite se quiser, mas o homem construiu o hotel apenas com o intuito de matar quem fosse se hospedar ali!
É considerado como o primeiro serial killer da América e o que mais pode nos chocar em relação à sua história, é que costumava vender os esqueletos de suas vítimas, e adivinhe? Justamente para escolas de medicina!

3 - Usar um disquete é seguro?

Entre 1974 e 1991, Dennis Rader matou cerca de 10 pessoas no Condado de Sedgwick, Kansas. Também era muito conhecido por seu "carinhoso" apelido: O assassino do BTK, ou ainda O estrangulador BTK. A sigla foi criada por ele mesmo, significando ligação, tortura e morte.
Semanas antes ser preso, o serial killer entrou em contato com um policial no qual achava que poderia confiar. Perguntou se poderia se comunicar com a polícia por meio de um disquete, questionando se seria seguro. Pensava que não poderia ser rastreado desta forma. Obviamente, o policial respondeu que sim.
Foi aí que Rader caiu. Ele realmente utilizou um disquete para enviar mensagens à polícia. Enviou o objeto para uma estação de televisão local, mas logo foi rastreado e preso.

4 - Um bolinho das amigas

Não, não escrevemos errado. Leonarda Cianciulli foi uma italiana responsável pela morte de 3 mulheres que considerava como amigas. Supostamente, para se livrar de uma maldição, a mulher atraiu as amigas para sua loja, e as executou com machadas. Em seguida, derreteu os corpos com soda cáustica.
Não é uma das piores serial killers no quesito quantidade, mas pode ser que no quesito crueldade ela entre para a lista. Com os restos mortais de suas vítimas, Leonarda produziu sabão e deu aos seus amigos e vizinhos. Com o sangue, ela decidiu fazer bolos. Serviu às visitas que recebia, e ainda dividiu alguns pedaços com o próprio filho. A polícia acabou chegando até ela, que foi condenada a 30 anos de prisão.

5 - "O Vampiro de Sacramento"

Em apenas um mês, 6 pessoas foram mortas na Califórnia por Richard Trenton Chase - conhecido como O Vampiro de Sacramento. Mas por que esse nome? Bom, apenas porque comeu os órgãos internos de suas vítimas, e também bebeu o sangue. Por incrível que pareça, ele invadiu as residências de suas vítimas, mas só entrava naquelas que estivessem com as portas abertas. 

6 - O jornalista que sabia demais...

Vlado Teneski foi um jornalista que focava em escrever sobre serial killers. Quando relatou sobre um que atuava em sua cidade natal, a precisão com que contava os fatos era realmente medonha. O que fez com que os policiais começassem a suspeitar do homem, é que ele relatava detalhes que as autoridades ainda não haviam divulgado.
Ele sabia muito a respeito do assassinato brutal de 3 idosas na pequena cidade de Kicevo. Após começarem a investigação, descobriram que o sêmen de Teneski combinava com aquele encontrado nas vitimas. Acabou sendo preso mas pouco tempo depois foi encontrado morto em sua cela. Ele estava com a cabeça mergulhada em um balde com água. A polícia diz que foi suicídio, mas... Vai saber né!

7 - O serial killer que soltava suas vítimas...

Durante um período de 12 anos, entre as décadas de 70 e 80, Robert Hansen matou cerca de 17 mulheres e estuprou outras 30 em Anchorage, no Alasca. Chamado de "Carniceiro de açougueiro", atacava principalmente prostitutas em uma construção de oleoduto que estava sendo levantada na época.
Para ele, não bastava ser apenas um serial killer. O mais detestável e bizarro no caso, é que o homem levava suas vítimas para uma região selvagem, florestas geralmente, e por lá as soltava. A orientação era para que se escondessem... Tentassem sobreviver. Após isso, ele apenas as caçava com um riffle empunhado em mãos. Tudo era apenas para alimentar seu prazer doentio em caçar suas vítimas, torturando-as também de forma psicológica.
Em 1984 foi encontrado e condenado a 461 anos de prisão. Morreu em 21 de agosto de 2014, aos 75 anos,  enquanto cumpria sua pena. A história do serial killer acabou inspirando o filme Sangue no Gelo, com Nicolas Cage e John Cusack.

11/07/2018

Elas estavam se divertindo vendo as fotos tiradas quando notaram algo perturbador

Era mais uma festa normal de despedida de solteiro. Entretanto, algo saiu errado. Um visitante inesperado apareceu para essas mulheres que festejavam o casamento de sua amiga. Essa visita nada agradável as deixou apavoradas e perplexas. Elas simplesmente resolveram sair de onde estavam. Até onde você acredita no sobrenatural? Qual são os limites da vida e da morte? Existe algum limite?
Há pessoas que acreditam em fantasmas e criaturas da noite, já outras são mais céticas. Contudo, quando nós vivenciamos uma experiência que foge das explicações dadas pela ciência... Nós sentimos medo. Podemos até duvidar, porém nossos olhos sabem bem o que enxergaram.
Hoje a Fatos Desconhecidos traz para você essa história que teve um fim sinistro e curioso. Será que é possível o que já foi, voltar a caminhar pelo nosso mundo e assombrar pessoas desavisadas? A noite cai e com ela vem os mistérios que se encondem nas sombras e no coração humano. Tudo estava indo muito bem, mas quando elas estavam vendo as fotos tiradas... notaram algo perturbador.
Um grupo de mulheres resolveram fazer uma festa de despedida de solteiro para uma amiga que ia se casar. Elas então foram para um famoso lago na Escócia, chamado Loch Lomond. Para isso elas alugaram quartos em um hotel que fica em uma parte mais isolada do lago. O lugar é famoso por suas belas paisagens, atividades esportivas e aquáticas, vida selvagem e vilarejos próximos. Contudo, aparentemente o lugar escondia um segredo bem sombrio.

A foto da despedida

A foto acima foi tirada poucos metros da margem do pitoresco lago. Toda em um clima de celebração, mesmo porque se tratava de uma data de felicidade e transformação para sua amiga. Contudo, ao verem a foto elas tiveram uma surpresa não tão agradável. Quando estavam vendo as imagens tiradas, em uma das fotos o décimo primeiro "convidado" resolveu aparecer. Acontece, que essa aparição não foi tão agradável, quanto os demais momentos que elas viveram.
Na próxima foto, repare no cantinho esquerdo. Você verá algo que não deveria estar ali.

O garoto afogado

Sim, esse pequeno garoto pode parecer algo curriqueiro e até um photobombengraçado. Acontece que isso deixou as mulheres chocadas ao ponto de saírem do hotel. Esse garoto não estava lá antes, e segundo pessoas do local, ele já não estava por lá a muito tempo. Em 1994, a BBC lançou um série chamada "The Blue Boy" que contava a história de um garoto que sofria de sonambulismo. Um dia ele caminhou até o lago e se afogou. Esclarecendo que ele havia se hospedado no mesmo hotel com sua família, você já deve ter ligado os pontos...
Em diversas ocasiões o responsável pela produção da BBC, enquanto filmava, como também pessoas do próprio hotel, relataram estranhos acontecimentos no local. Desde a morte do menino os próprios funcionários desse hotel de Loch Lomond, disseram ver pegadas molhadas nas escadas e talheres movidos misteriosamente. Segundo as mulheres da foto, todas ficaram estarrecidas e resolveram ir embora no mesmo dia. No fim, talvez o espírito desse garoto só queria brincar um pouco

Fonte: Fatos Desconhecidoshttps://www.fatosdesconhecidos.com.br

04/07/2018

O livro mais poderoso do mundo que pode matar seus leitores

Você já viu alguém morrer de tanto ler? Pois bem, caros amigos, viemos aqui hoje mostrar para vocês um livro que pode ser fatal, mas não da maneira que vocês estão pensando. Na verdade achamos que é impossível alguém morrer de tanto ler. Pode até enlouquecer, mas morrer é muito difícil. Porém, nesse caso, morre quem toca as páginas sombrias de um livro.
Protegido no segundo andar da Biblioteca Buhr, na Universidade de Michigan, nos EUA, repousa uma cópia do livro mais perigoso do mundo: quem o toca, morre. Estamos falando do "Shadows from the Walls of Death" (Sombras das Paredes da Morte). Nunca ouviu falar? A gente conta mais sobre esse livro curioso para vocês.

Sombras das Paredes da Morte

Mas afinal, por que não destruíram esse livro mortífero? Na verdade quase todos os exemplares foram destruídos. Mas dada a relevância histórica, sabe-se que existe 4 cópias do livro no mundo que estão devidamente guardados para que ninguém morra ao tocá-los.
Uma das cópias é o livro da Universidade de Michigan. A outra cópia, que citamos na introdução, também está em Michigan na biblioteca da Universidade Estadual, na seção "coleções especiais". Os livros são selados em um recipiente e cada cápsula é individualmente guardada, de acordo com o The Ann Arbor Chronicle (As Crônicas de Ann Arbor). As outras duas cópias restantes estão em Harvard e na Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos. Para lê-lo, você deve usar luvas especiais de proteção e evitar qualquer contato com a pele.

Mas por que diabos esse livro é venenoso?

Robert Kedzie , seu autor, apresentou em 1874 um ensaio sobre papéis venenosos. Sua maior preocupação era o uso generalizado de pigmentos arsênicos no papel de parede das casas.
Depois de analisar vários casos, ele percebeu que um deles era uma menina de 9 meses de idade. Seu quarto tinha papel de parede e depois sua saúde estava péssima. Ela tinha sintomas parecidos com doreumatismo, dores lancinantes, febre, dor de cabeça, feridas no corpo, entre outros.
Depois que ela saiu de casa por várias semanas, ela melhorou. Porém, depois que voltou para casa, sua saúde começou a piorar de novo. Foi então que Kedzie descobriu que o papel de parede do quarto de Emma tinha níveis muito altos de arsênio. Depois que esse problema foi detectado, os pais da garotinha se mudaram e ela melhorou de saúde.
Por isso, Kedzie resolveu escrever esse livro. O livro tem 86 amostras de papel de parece com altos níveis de arsênio obtidos em centros comerciais. Ele até sabia dos perigos, ninguém percebia que o arsênio podia ser letal. O papel de parede pode derramar partículas de poeira com arsênico e, quando inalado ou ingerido, pode afetar a saúde das pessoas.
O prefácio explica os perigos do arsênio. Após a morte de uma leitora, quase todas as cópias do livro foram queimadas.